fbpx

6 Conselhos para evitar os conflitos entre pais e filhos 

conflitos entre pais e filhos

Os conflitos entre pais e filhos são situações que acontecem em quase todas as famílias. Nas relações sociais, mesmo nas mais próximas e íntimas, a conflitualidade é comum e até pode fazer parte de uma sociabilização saudável 

confronto de ideias mostra que as pessoas têm perspetivas diferentes sobre as coisas e que há liberdade para expô-las. Desde que o conflito não atinja a violência nem agressividade e que não se prolongue no tempo, é uma oportunidade de mudança nas relações sociais. 

Quanto aos conflitos entre pais e filhos, a tendência é surgirem com maior regularidade na adolescência. Fruto das transformações psicossociais do adolescente e da própria irreverência que caracteriza esta fase da vida, as discussões acabam por surgir. 

A adolescência não é uma fase conflituosa

Embora os conflitos entre pais e filhos possam ser mais frequentes no período da adolescência, não significa que esta etapa de vida seja conflituosa. Este é um período de transformações profundas que podem resultar em algumas tensões. 

A adolescência é uma fase de definição e afirmação da identidade e desenvolvimento da autonomia. Ao mesmo tempo, surgem as dúvidas, os receios e as incertezas. Os adolescentes já não se sentem crianças, mas também ainda não são adultos. 

Nesse sentido, a adolescência exige uma readaptação das inter-relações, nomeadamente por parte dos pais. A família tem um papel central nesta mudança, pois é o principal suporte do jovem nesta fase. 

6 Conselhos para minimizar o impacto dos conflitos entre pais e filhos 

1. Assuma o papel de adulto no conflito

Quando há conflitos entre pais e filhos na adolescência, a postura dos pais deve revelar maturidade. Muitas vezes, nestas discussões os progenitores levam a conflitualidade para um lado emocional, não contribuindo para a discussão com argumentos e opiniões válidas. Uma postura autoritária ajuda a aumentar a revolta do adolescente e a prolongar o conflito. 

2. Avalie as causas de um comportamento do adolescente

Antes de agir perante um comportamento do adolescente, tente perceber os motivos que o originaram. Demonstração de poder não é a solução para resolver o problema, pois tende a acentuar o conflito entre pais e filhos.  

É natural que o jovem, ao longo do seu desenvolvimento, procure independência relativamente aos progenitores, desenvolvendo comportamentos que tendem a ir contra as normas instituídas. O diálogo é fundamental neste processo, pois só assim se alcançam os consensos e se torna a relação mais harmoniosa. 

3. Se pretende ser escutado, escute o seu filho

Outro dos problemas que acentua os conflitos entre pais e filhos adolescentes é não saber escutar os jovens. Perante determinada situação, tenha ou não razão, o jovem deve ter oportunidade de fazer-se ouvir e apresentar o seu ponto de vista. 

relação pais–filhos deve assentar num diálogo rico e empático. Só assim a mensagem que pretende passar será melhor aceite, prevenindo muitos outros conflitos no futuro. 

4. Aceite a adolescência como um estado de constante questionamento

A fase da adolescência é um período de muitas transformações a múltiplos níveis. É uma fase de afirmação e irreverência, mas, por outro lado, de insegurança e incerteza. O adolescente vive constantemente em dilema e, por isso, é natural que questione e conteste o que está instituído. 

Nesse sentido, um dos primeiros passos para minimizar os conflitos entre pais e filhos é aceitar isso, reconhecendo o lugar que cada um ocupa sem, no entanto, colocar em causa a autoridade enquanto pai e/ou mãe.  

5. Construa uma relação de proximidade com os filhos

Uma relação de proximidade com os filhos é muito mais do que passar tempo juntos. Demonstrar interesse pela vida do jovem, conversar sobre interesses comuns e realizar atividades de lazer são exemplos de como pode construir uma relação de confiança e proximidade. 

Uma ligação forte minimiza os conflitos entre pais e filhos, assim como reduz o impacto destes na relação. 

6. Aposta numa boa comunicação

Como já foi referido, os conflitos entre pais e filhos são inevitáveis. No entanto, é possível evitar situações que criem problemas mais profundos. Apostar numa boa comunicação é determinante neste processo. Comunicar eficazmente e sem ressentimentos é primordial numa relação que se quer harmoniosa. 

Para saber lidar com as suscetibilidades da adolescência e os conflitos que daí surgem, subscreva o blog do Externato Champagnat. Vai encontrar vários conteúdos sobre o desenvolvimento dos adolescentes. 

 


 

Deixe uma resposta