fbpx

A educação infantil e o risco da sobrevalorização das notas 

Educação infantil

 A escola é vista por muitos como um “elevador social”. Um percurso escolar pleno pode garantir mais e melhores oportunidades de sucesso. Nesse sentido, uma boa parte das famílias atribui-lhe uma importância significativa, subestimando o valor que outras dimensões têm na educação infantil. 

É muito importante que os pais se preocupem com o percurso escolar dos filhos e o acompanhem. Está comprovado que esta proximidade é um fator promotor de sucesso escolar. Contudo, este acompanhamento, muitas vezes, centra-se sobretudo numa perspetiva quantitativa, ou seja, nas notas. 

Sendo inquestionável a importância que as notas têm para o sucesso e futuro das crianças, a sobrevalorização dos resultados tem, recorrentemente, consequências negativas. Muitas vezes, fomenta a competitividade no meio escolar, não sendo positivo num ambiente que proporcione a aquisição de aprendizagens significativas e uma educação infantil saudável. 

 

5 Efeitos negativos da sobrevalorização das notas na educação infantil

 

Uma educação infantil positiva consiste em mais do que exigir e preocupar-se com o desempenho escolar. Uma postura demasiadamente assente nos resultados, traz problemas a várias dimensões, acabando, mais tarde ou mais cedo, por ter efeitos contrários. 

Desse modo, destacamos alguns dos problemas causados por esta preocupação excessiva com as notas escolares. 

 

1. Aumento do stress e ansiedade nas crianças

Quando se coloca demasiada pressão nas crianças em relação ao rendimento escolar, surgem, em muitos casos, problemas. Os alunos ficam em estados de ansiedade e stress, prejudicando assim uma educação infantil saudável. 

 

2. Valorização do resultado em detrimento do empenho

Nem sempre os resultados correspondem a um maior ou menor empenho do aluno nas tarefas escolares. Há muitos outros fatores que influenciam o rendimento, podendo eles ser intrínsecos ou extrínsecos.  

Desse modo, é mais importante perceber o contexto em que a criança desenvolve o seu trabalho e, a partir daí, definir expectativas. 

 

3. Comprometimento da auto-estima da criança

Quando os pais desenvolvem expectativas elevadas quanto ao rendimento escolar do aluno, podem surgir dúvidas à criança em relação às suas capacidades. Sobretudo quando não há reforço positivo nos resultados abaixo do esperado, a auto-estima pode sair afetada, tornando-se mais difícil para ela subir as notas. 

 

4. Estimulação da competitividade na escola

Num processo pedagógico positivo, não deve haver lugar à competitividade exagerada. Cada aluno tem os seus ritmos, características e condições para desenvolver as suas aprendizagens. Comparar notas gera um ambiente entre os alunos, e nas próprias famílias, nada positivo para a educação infantil. 

 

5. Baixo rendimento escolar

As altas expectativas dos pais em relação ao rendimento escolar têm, em muitos casos, um efeito contrário. Todos os pontos anteriormente apontados, podem conduzir o aluno ao insucesso escolar e, por sua vez, ao comprometimento do seu bem-estar. 

 

5 Aspetos a valorizar no acompanhamento do percurso escolar da criança

 

De modo a saber gerir expectativas relativamente ao rendimento escolar do seu filho, sem comprometer uma educação infantil positiva, é muito importante adotar alguns cuidados.  

Se, por um lado, pretende criar condições para que o aluno tenha boas notas, por outro deve contribuir para o bem-estar das crianças. 

Dessa forma, fique com 5 dicas para promover uma educação infantil saudável.  

 

1. Fomente uma relação de apoio

Exigir resultados e criar expectativas acima das possibilidades, normalmente, não dá bons resultados. Enquanto pais, é importante assumir uma postura de apoio, transmitindo segurança e tranquilidade para uma educação infantil saudável. 

 

2. Valorize as outras dimensões da criança

Não se deve atribuir unicamente à escola a preponderância para o crescimento e educação infantil. Há muitos outros espaços e contextos que são fundamentais para a aprendizagem das crianças, nomeadamente, nos momentos educativos não formais e informais. 

 

3. Não promova longas jornadas de estudo

estudo intensivo pode não se compatibilizar com um bom rendimento escolar. É fundamental que haja lugar para momentos de pausa e distração, sobretudo, em época de testes ou exames. Numa boa dinâmica de estudo, estes momentos, além de permitirem o descanso do aluno, servem também para a assimilação do conhecimento. 

 

4. Ajude a criança na gestão do seu calendário 

Apoiar a criança na gestão das tarefas diárias, vai criar condições para que ela tenha bons resultados escolares. Ajude-a a organizar o seu tempo, criando uma agenda ou um calendário de tarefas, estimulando assim a autonomia. 

 

5. Defina expectativas realistas

As expectativas em relação ao rendimento escolar da criança devem estar contextualizadas com as capacidades do aluno e também com o ambiente educativo.  

Dessa forma, acompanhe diariamente o trabalho escolar, fale com os professores e outros agentes educativos e, em conjunto, estabeleçam metas realistas. É este acompanhamento em rede que cria condições para uma educação infantil saudável. 

 

Para outras dicas sobre parentalidade, desenvolvimento e educação infantil, subscreva o blog do Externato Champagnat. 

 


 

Deixe uma resposta