fbpx

Educação infantil: Como reagir aos palavrões das crianças 

educação infantil

A educação infantil impõe com regularidade alguns dilemas aos pais e educadores. Um desses exemplos tem a ver com o desenvolvimento da linguagem e aprendizagem de vocabulário. O modo como os pequenos aprendem a expressar-se relaciona-se com as suas vivências diárias e com quem interagem. 

Uma das questões que muitas vezes causa apreensão nos pais e educadores é a utilização de palavrões ou expressões menos aceitáveis pelas crianças. No entanto, esta situação não significa que os mais pequenos estejam a ter uma educação infantil negativa. 

Como já referido, os contextos nos quais as crianças intervêm têm uma influência determinante nos seus comportamentos, inclusivamente, na linguagem. Assim, nem sempre é possível controlar a aprendizagem de vocabulário menos próprio. 

A grande tarefa dos pais e educadores passa por fazer reconhecer à criança que a utilização de certos termos e expressões não é adequada e deve ser evitada.  

 

3 Situações em que as crianças podem aprender palavrões

 É nos momentos educativos informais que existe uma grande probabilidade da criança aprender termos e expressões menos próprias. Este tipo de contextos, apesar de terem uma grande importância na educação, têm também alguns senãos. 

Nesse sentido, estas são algumas das situações em que a criança poderá aprender este tipo de linguagem: 

 

1. No seio familiar

Parte das expressões negativas que as crianças assimilamsurgem no núcleo familiar. Muitas vezes, as famílias soltam palavras menos próprias que os pequenos apreendem, mesmo não sendo dirigidas a eles.  

Em idades precoces, as crianças são verdadeiras “esponjas” relativamente àquilo que as rodeia. Em muitos casos, não sabem discernir entre o que está certo e errado, nem percebem o significado destas expressões. 

 

2. Pela visualização de conteúdos na TV ou Internet

Os meios digitais contêm, atualmente, muitos modelos que as crianças adotam. Alguns deles podem ter uma influência positiva na educação infantil, mas também existe o contrário 

Neste aspeto, a linguagem utilizada, por exemplo, por alguns youtubers ou em certos filmes ou programas de TV, desadequados às idades das crianças, proporciona a aquisição de vocabulário menos próprio. 

 

3. Por interação com os seus pares 

É muito natural que, na interação das crianças com os pares, a linguagem seja mais informal, com mais espaço para palavrões e frases incomodativas. Não será regra, mas há uma grande probabilidade de isto acontecer nesses contextos. 

 

4 Conselhos para reagir aos palavrões da criança

 

Inevitavelmente, em algum momento vai confrontar-se com alguma expressão proibida por parte do seu filho. Há formas para reagir convenientemente a essas situações e evitar que se repitam, promovendo uma boa educação infantil. 

 

1. Avalie o contexto em que o palavrão surgiu

Antes de castigar ou chamar a atenção da criança, deve perceber em que contexto a expressão ou palavrão surgiu. Se notar que foi motivada por alguma situação inesperada, como ter-se magoado por exemplo, ainda que deva ser repreendida, a gravidade não é tão significativa 

Caso verifique que as expressões surgem de forma desafiadora e intencional, aí o castigo, ou o reparo, deverá ser adequado à ocasião. 

 

2. Mantenha a tranquilidade 

Para apostar numa boa educação infantil no caso de se confrontar com um palavrão dito pelo seu filho, é importante manter a calma e a tranquilidade 

Além de perceber o contexto em que surgiu, deve questionar a criança sobre como ela aprendeu a expressão e mostrar que é errada, independentemente das circunstâncias. 

 

3. Escute a criança 

Castigar ou repreender sem dar oportunidade à criança de se justificar, não é congruente com uma educação infantil positiva. Mesmo nas situações em que o que ouviu seja grave, deve dar oportunidade ao seu filho de falar e se explicar. 

 

4. Adeque a penalização à situação

castigo relativamente ao comportamento do seu filho deve ser adequado à situação. Mais do que penalizar, é importante mostrar que determinados comportamentos e atitudes são incorretos e desagradáveis 

Por outro lado, o afeto com a criança deve manter-se, demonstrando que o que está em causa é a atitude e não ela própria. Aja com firmeza, mas de modo justo e ponderado. 

  

Como promover uma boa educação infantil relativamente à linguagem

 

Para evitar que a criança inclua no seu vocabulário expressões negativas, há alguns aspetos que deve ter em atenção. Não se esqueça que a educação dos mais pequenos deve assentar na proximidade, numa boa comunicação e no afeto. 

Nesse sentido, destacam-se alguns pontos para promover uma boa educação infantil relativamente à linguagem: 

  • Tenha um discurso exemplar  Pelo menos em frente à criança, esforce-se por utilizar linguagem adequada, sem recorrer a expressões negativas. 
  • Não subestime a criança  Muitas vezes, os pais julgam que os filhos não percebem ou não ouvem o que eles dizem, o que pode não ser verdade. 
  • Não limite a convivência com os pares  Em alguns casos, os pais consideram que certos amiguinhos dos filhos são más companhias, nomeadamente, por usarem expressões ou comportamentos menos positivos. Não será eliminando essas convivências que evitará que a criança diga palavrões. 
  • Estimule uma boa comunicação com a criança  Este aspeto é fundamental para promover uma boa educação infantil, pois é através da comunicação que se estimulam bons comportamentos e atitudes. 

 

Para aceder a outros conteúdos sobre educação infantil, subscreva o nosso blog. Encontrará dicas muito úteis para esclarecer as dúvidas do quotidiano familiar. 

 

Deixe uma resposta