fbpx

Como ajudar os mais pequenos a aprender a poupar 

aprender a poupar

desenvolvimento sustentável é atualmente uma temática muito importante na educação das crianças, pelo que aprender a poupar é essencial. Nas escolas, esta abordagem não se limita ao campo financeiro, incidindo também sobre a poupança de outros recursos.  

De facto, em educação, levar as crianças a aprender a poupar vai muito para além do dinheiro. Atualmente, é fundamental que os mais pequenos saibam como gerir recursos, sejam eles de que tipo forem. 

Estimular uma criança a aprender a poupar permite, sobretudo, que adquira competências importantes na gestão e no autocontrolo. Ajuda-a ter noção dos limites, não só pessoais, mas também sociais e da natureza. 

O importante é que compreendam que o despesismo, seja em que dimensão for, tem consequências negativas 

 

4 Dimensões onde o seu filho pode aprender a poupar

 

A Organização da Nações Unidas (ONU) definiu uma agenda para o Desenvolvimento Sustentável com 17 objetivos a concretizar até 2030. Uma dessas metas é precisamente “Produção e Consumo Sustentáveis”, de modo a promover na sociedade padrões de consumo eficiente dos recursos naturais e a redução do desperdício. 

Muito deste trabalho a nível mundial passa pela educação das gerações mais novas. Apolíticas educativas estimulam as crianças a aprender a poupar e a consumir de forma mais sustentável. 

Neste sentido, assinalamos 4 dimensões onde é fundamental a criança aprender a poupar e a gerir recursos. Algumas delas são transversais, estabelecendo uma relação entre si. 

  

1. Dimensão financeira

Embora aprender a poupar não se limite apenas a esta dimensão, a verdade é que o dinheiro é uma variável incontornável na vida das pessoas. É a partir da infância que esse trabalho deve ser realizado, adaptando, claro, estes ensinamentos de poupança ao nível de desenvolvimento da criança. 

 

2. Dimensão ambiental

Face às alterações climáticas e ao impacto humano na natureza, a mudança de hábitos e a adoção de medidas sustentáveis no uso dos recursos naturais é urgente 

Nesse sentido, é importante ensinar as crianças poupar as coisas que utilizam no quotidiano, a reciclar, reaproveitar e a minimziar a produção de resíduos.  

 

3. Dimensão alimentar

A indústria alimentar é um dos setores que mais recursos explora, gerando impactos negativos no ambiente. redução do consumo e do desperdício é determinante, havendo uma sensibilização crescente para isso a nível mundial.  

Desse modo, é importante que o seu filho aprenda a poupar também na alimentação, evitando desperdiçar. Para isso, é fundamental que saiba comer nas proporções certas e de forma variada. 

 

4. Dimensão energética

A energia deve ser usadde forma eficiente. Quer pelos seus custos, quer pelos impactos que tem no ambiente, os recursos energéticos devem ser geridos corretamente.  

Os mais pequenos devem, desde cedo, aprender a poupar energia e a valorizar as alternativas das fontes renováveis. É na infância que hábitos positivos são adquiridos, contribuindo para o desenvolvimento sustentável do planeta. 

 

4 Dicas para as crianças aprenderem a poupar

 

Os mais pequenos não aprendem a poupar sozinhos, portanto, deve complementar a educação escolar neste âmbito.  

Para isso, apontamos algumas dicas para que seja mais efetivo, estimulando hábitos de poupança no seu filho. 

 

1. Adote hábitos exemplares em casa

O primeiro passo para que o seu filho possa aprender a poupar é ter rotinas exemplares em casa. Incutir hábitos positivos na criança e, ao mesmo tempo, ter comportamentos congruentes é fundamental.  

Esta atitude pode passar, por exemplo, por cumprir as regras de separação dos lixosevitar o desperdício e poupar nos recursos materiais, alimentares e financeiros. 

 

2. Estimule a responsabilidade coletiva

Para uma criança aprender a poupar é fundamental perceber que um consumo irracional tem impactos individuais e coletivos.  

Mesmo nos casos em que não há falta de recursos, é importante que ela compreenda que tudo é finito e que o consumo exagerado tem impactos negativos. Dessa forma, é essencial estimular o espírito de partilha e a consciência coletiva. 

 

3. Permita à criança gerir os seus recursos

Uma das formas de aprender a poupar é deixar as crianças gerirem os próprios recursos. Seja nmesada, no cartão da escola ou até no consumo de dados do telemóvel, há sempre formas de proporcionar essa aprendizagem.  

Ajude o seu filho estabelecer limites e a programar os seus gastos. Se, por acaso, ultrapassar os limites de forma irresponsável, não compense essa falha. Em situações que não ponham em causa o seu bem-estar, deixe-o assumir as consequências. 

 

4. Tenha uma postura pedagógica

Neste processo, os pais devem ter uma postura essencialmente pedagógica. Por um lado, devem dar espaço para que a criança seja responsável pela gestão das suas coisas, diminuindo aos poucos a dependência.  

Por outro, pode ir dando dicas úteis que a orientem no sentido positivo. Aprender a poupar não é algo inato, por isso deve apoiar os seus filhos nesta tarefa. 

 

Deixe uma resposta