fbpx

Crianças com pais separados: 6 Dicas para um Natal tranquilo 

Natal + pais separados

Em Portugal, o divórcio tornou-se um fenómeno social bastante comum, sobretudo nas últimas décadas. A situação pode ser mais complexa quando existem filhos. Independentemente dos processos serem mais ou menos litigiosos, há alturas sensíveis para as crianças com pais separados, como é exemplo o Natal. 

Cada situação é única e há casos em que o ex-casal consegue entre si definir guarda da criança. Noutros cenários, quando o conflito implica determinações judiciais, a situação torna-se mais delicada. Na maioria das vezes, traz consequências negativas para os miúdos cujos pais estão divorciados. 

A situação agrava-se quando o superior interesse da criança é subjugado ao interesse de cada progenitor. Situações festivas, como aniversários, férias ou Natal, constituem momentos sensíveis no que toca à decisão de para onde vão os filhos de pais separados. 

 

O valor do Natal para as crianças

O Natal tem uma representatividade muito grande, não só para as crianças, mas também para os adultos. A união da família é a imagem de marca desta época festivaToda a narrativa com que os mais pequenos se confrontam na escola, na televisão ou nos livros, anda em torno disso. 

Assim, o Natal significa, para muitas crianças com pais separados, um momento de alguma instabilidade emocional que pode acentuarse quando o diálogo entre estes não é o mais saudável. 

O fator idade tem também um papel crucial no entendimento dos mais pequenos. Crianças pequenas podem não conseguir compreender o porquê dos pais não estarem juntos numa época que aprendem como sendo de união familiar 

Dessa forma, é fundamental que a relação de pais separados seja a mais cordial possível, havendo ou não conflitos entre o ex-casal 

 

6 Sugestões para gerir o Natal das crianças com pais separados

 

Como se viu, o Natal pode ser um período difícil para os mais pequenos. Para ajudar a criança a lidar melhor com o facto de ter pais separados nesta época festiva, deixamos-lhe algumas dicas 

 

1. Não aproveite o Natal para disputas

Os conflitos e as disputas entre o ex-casal são dos fatores mais negativos para as crianças com pais separados. O Natal, tal com outras ocasiões de festa, não deve ser aproveitado para despoletar problemas. Isto só irá acentuar as possíveis fragilidades dos mais pequenos, numa época que é vista como de paz e harmonia familiar. Desse modo, caso existam conflitos, proteja a criança e evite usá-la como arma de arremesso contra o outro progenitor. 

 

2. Dê primazia ao interesse da criança

O bem-estar da criança deve estar no centro da preocupação de ambos os progenitores. Independentemente da existência ou não de conflitos, os pais devem demonstrar cordialidade aos olhos dos filhos. É importante que estes sintam harmonia por parte dos pais, para que se sintam seguros e tranquilos. 

 

3. Dê espaço à criança para ser ouvida

À criança deve ser dada oportunidade para exprimir a sua opinião e as suas expectativas relativamente ao período natalício. Com tempo, converse com ela sobre esta época e, sobretudo, sobre o dia de Natal. Perceba o que a criança pretende para essa data, sem a influenciar nem fazer qualquer tipo de juízo. Transmita-lhe também as suas expectativas ou, se for o caso, de ambos os pais. 

 

4. Alterne a presença da criança na noite de Natal

Se não existe nenhuma situação impeditiva, o dia de Natal pode ser alternado anualmente em casa do pai ou da mãe. Por exemplo, a noite de consoada pode ser passada com um dos progenitores e o dia seguinte com o outro, alternando no ano posterior.  

O importante é que haja sintonia entre o ex-casal e que ambos possam desfrutar da presença do filho nestas datas tão simbólicas. 

 

5. Reúna toda a família

Além de estar com ambos os progenitores, é importante para a criança conviver também com os familiares do lado materno e paterno. Caso opte por uma solução idêntica à do ponto anterior, organize, sempre que possível, uma forma de reunir toda a família de cada lado. Assim, os laços familiares serão mantidos e reforçados. 

 

6. Não demonstre resistência às alterações de rotina

Após um divórcio, as rotinas mudarão com certeza, sobretudo quando há filhos, e isso envolve alterações no Natal. Isto tem de acontecer para que todos possam manter os laços familiares, sobretudo a criança que tem os pais separados. Desse modo, não resista a essas mudanças, pois os mais pequenos têm uma grande capacidade de adaptação 

Nesta altura do ano, o importante é que haja o máximo de harmonia entre todos, de forma a ser possível alcançar soluções para que todos possam aproveitar o Natal da melhor maneira. 

 

Deixe uma resposta