fbpx

Ter irmãos: Que benefícios pode trazer às crianças?

irmãos

Nos dias de hoje, há cada vez menos crianças com irmãos. Nas últimas décadas, tem havido um decréscimo significativo das famílias que optam por ter mais do que um filho.

Há vários fatores que justificam esta realidade social. Sobressaem, por exemplo, a importância crescente para as mulheres de investir na carreira profissional, o nascimento cada vez mais tardio do primeiro filho ou a falta de condições socioeconómicas para ter uma família mais numerosa.

Muitos pais são julgados pelo facto de terem filhos únicos e existe ainda algum preconceito relativamente aos miúdos que não têm irmãos. A verdadeira questão que se coloca é saber se as crianças com irmãos saem mais ou menos beneficiadas nas múltiplas dimensões do seu desenvolvimento. Não é uma questão fácil de responder e os vários estudos realizados dificilmente nos permitem tirar conclusões claras.

 

As crianças com irmãos desenvolvem melhores princípios?

Relativamente a esta temática, há várias ideias feitas derivadas do senso comum. Quando uma criança não tem irmãos, normalmente assume-se que é mais egoísta, individualista e mimada. Mas será realmente assim?

Na convivência com os mais pequenos e em vários estudos, a conclusão não é assim tão evidente. Ter irmãos não é razão, por si só, para desenvolver comportamentos menos positivos, como os referidos.

O ambiente em que a criança cresce e se desenvolve, onde se inclui o meio familiar, tem um papel muito mais importante. Há fatores aqui integrados que vão determinar o desenvolvimento de determinados princípios e valores nos mais pequenos.

Para uma criança desenvolver bons princípios, é fundamental existir um contexto familiar equilibrado, no qual receba a atenção e o amor necessários. As oportunidades para uma educação e crescimento saudáveis, bem como a liberdade para explorar o mundo, são também fatores cruciais.

 

5 Benefícios para as crianças em ter irmãos

Como vimos, o facto de uma criança ter ou não irmãos não é determinante para se tornar numa pessoa melhor. No entanto, fazer parte de uma família numerosa pode oferecer vantagens para o desenvolvimento dos mais pequenos.

 

1. Permite criar memórias familiares significativas

Todas as pessoas com irmãos guardam boas memórias de infância sobre episódios engraçados e significativos. Apesar de algumas situações parecerem, no momento, meras discussões ou problemas, mais tarde são relembradas de forma divertida. Estas recordações permitem reforçar os laços familiares e o amor entre todos.

 

2. Reduz a monotonia familiar

Uma família numerosa é sempre mais dinâmica. Entre os problemas e feitios de cada um, há sempre alguma situação que anima o meio familiar. Contudo, tem também os seus senãos, já que nem sempre é possível, por exemplo, garantir a privacidade de cada um.

 

3. Garante mais oportunidades para brincar

Para uma criança, ter irmãos significa ter parceiros de brincadeira. No caso dos filhos únicos, apenas podem fazê-lo na escola ou quando recebem amigos em casa, estando dependentes da disponibilidade dos pais. Já a presença permanente de um mano garante mais tempo de diversão, o que é muito importante para o desenvolvimento infantil.

 

4. Possibilita desenvolver competências sociais

Nas crianças, há competências sociais que podem ser criadas e testadas na convivência com os irmãos. Por exemplo, os manos mais velhos tendem naturalmente a experimentar estratégias de liderança com os mais novos. Por outro lado, os mais pequenos aprendem uma infinidade de comportamentos ao observarem os irmãos mais velhos.

 

5. Oferece um sentimento de amor único

Ter irmãos permite à criança desenvolver um sentimento único relativamente a outra pessoa: o amor fraterno. Os irmãos estabelecem desde cedo um vínculo emocional com características próprias. Num filho único, este sentimento dificilmente será desenvolvido para com alguém.

 

Interessa-se sobre temáticas familiares? Para se manter a par dos nossos artigos, subscreva agora o nosso blog. Encontrará vários conteúdos sobre dinâmica familiar, pedagogia e desenvolvimento infantil.

 

Deixe uma resposta