fbpx

Problemas de visão comuns nas crianças. Fique atento!

problemas de visão + crianças

Identificar precocemente problemas de visão nas crianças pode ser crucial para um bom desenvolvimento físico e cognitivo. De acordo com o Programa Nacional para a Saúde da Visão de 2020, elaborado pela Direção-Geral da Saúde, no nosso país, aproximadamente metade da população adulta e 20% das crianças sofre de problemas de visão.

A criança passa por diferentes fases no seu crescimento. As mudanças que ocorrem dos 3 aos 5 anos são diferentes das que acontecem entre os 6 e os 9 anos. Quando se trata do desenvolvimento visual, este começa nos primeiros meses de vida e só termina entre os 7 e os 9 anos.

Dada a dificuldade dos mais pequenos em se expressarem, as doenças oculares na infância só costumam ser identificadas no início do percurso escolar. Assim, é importante ter atenção a alguns sinais indicativos de dificuldades de visão.

 

6 Problemas de visão comuns nas crianças

 

1. Astigmatismo

O astigmatismo é um defeito refrativo do olho, associado a uma alteração na curvatura da córnea. Faz com que a qualidade de visão fique comprometida ao longe e ao perto, havendo uma focagem inadequada das imagens na retina.

Alguns sintomas que podem indicar que a criança tenha este problema de visão são:

  • Dores de cabeça;
  • Comichão nos olhos;

 

2. Miopia

A miopia é um problema de visão que pode afetar as crianças e que dificulta a visão ao longe. Apesar de não criar problemas na qualidade de visão ao perto, a miopia por vezes é acompanhada por astigmatismo. Não é comum este problema de visão aparecer isoladamente e tende a piorar com o crescimento da criança.

Alguns sinais de que o seu filho pode ter miopia são:

  • Dar preferência a atividades em que os objetos estão perto. Por exemplo, jogar telemóvel ou ler, em vez de jogar à bola;
  • Ter dificuldades ao copiar do quadro na escola, dando erros;
  • Confundir letras parecidas: trocar o H e o M, o P e o F ou confundir o O e o D.

 

3. Hipermetropia

A hipermetropia é um erro refrativo de visão. A imagem é projetada atrás da retina, criando dificuldades em ver ao perto. Quanto mais próximo estiver o objeto, maior será a dificuldade em conseguir vê-lo nitidamente. A partir de 4-5 dioptrias de hipermetropia, é provável a criança começar a ver mal também ao longe.

A hipermetropia é um problema de visão comum nas crianças, mas, quando corrigido na infância, a probabilidade de não se agravar, e até de reduzir, é elevada. A hipermetropia pode ser acompanhada por astigmatismo que, da mesma forma, tem tendência a reduzir de gravidade quando tratado precocemente.

Alguns dos sinais de que a criança possa ter este problema de visão são:

  • Ver tudo desfocado;
  • Ter dificuldades de concentração;
  • Tender a afastar-se dos cadernos ou dos livros para ler ou escrever, já que é ao longe que consegue ver melhor;
  • Ter dificuldades a andar ou a subir escadas, já que a doença pode afetar o desenvolvimento motor das crianças.

 

4. Ambliopia

A ambliopia consiste na dificuldade em ver com clareza devido ao desequilíbrio na acuidade visual dos dois olhos. Nestes casos, a criança possui geralmente um olho com melhor capacidade de visão que o outro.

Este problema de visão afeta normalmente as crianças com hipermetropia ou astigmatismo e costuma ser diagnosticado em exames de rotina. O tratamento da ambliopia pode passar por tapar o olho com melhor capacidade visual até que os dois olhos alcancem o mesmo nível de visão.

Os sinais mais óbvios de que uma criança tem ambliopia são:

  • Os seus olhos apontarem em direções diferentes;
  • Haver diminuição da capacidade visual num dos olhos.

 

5. Estrabismo

O estrabismo, por vezes designado de “olho preguiçoso”, é caracterizado pelo desalinhamento dos olhos, podendo afetar ambos ou apenas um. Esta é também uma das principais causas de ambliopia.

Os olhos das crianças com estrabismo não trabalham de forma coordenada e são incapazes de fixar o mesmo ponto. Por conseguinte, o cérebro recebe duas imagens diferentes, “recusando” a do olho que vê pior. Este último acaba por não se desenvolver, originando atrofia na visão.

Alguns possíveis sinais de estrabismo são:

  • Ter dificuldade em distinguir imagens, devido a alterações na sensação de profundidade, distância e foco;
  • Girar o pescoço com frequência para conseguir focar melhor os objetos. Isto pode provocar dores de cabeça ou dores musculares.

 

6. Daltonismo

O daltonismo é uma condição genética mais frequente nos rapazes, sendo raro encontrar este problema de visão nas crianças do sexo feminino. O seu traço mais característico é a dificuldade na distinção de algumas cores. A criança não consegue perceber as diferenças entre cores como o verde, o cor-de-rosa ou diferentes tons de vermelho. Na sua forma mais comum, gera confusão entre o verde e o castanho.

Para além da dificuldade em distinguir cores, outros sinais de daltonismo são:

  • Problemas no processo de aprendizagem;
  • Desconcentração;
  • Enganos frequentes ao copiar do quadro.

 

Caso identifique nos seus filhos alguns dos sinais descritos, o próximo passo é agendar uma consulta num médico oftalmologista. Ninguém melhor do que um especialista para diagnosticar um problema de visão e dar início ao melhor tratamento. Os exames de rastreio à visão são também muito importantes e devem ser feitos com regularidade.

 

Tem curiosidade em saber mais sobre o desenvolvimento e crescimento infantil? Subscreva o nosso blog e receba os nossos artigos no seu e-mail.

 

 

Deixe uma resposta