fbpx

Como contrariar a dependência tecnológica nas crianças? 

Dependência tecnológica

dependência tecnológica é apontada por muitos especialistas como um dos problemas da atualidade na infância e adolescência. As novas tecnologias contribuem para o sedentarismo e a má qualidade das relações interpessoaisDesse modo, o desenvolvimento psicossocial e físico dos jovens é afetado. 

Com a pandemia de COVID-19, a dependência tecnológica dos mais novos acentuou-se significativamente. O confinamento obrigou as atividades familiares em casa, sendo o recurso às novas tecnologias a forma mais comum de entretenimento. Por outro lado, a implementação do ensino à distância fez com que os alunos passassem ainda mais tempo em frente aos computadores, tablets e telemóveis.  

 

Consequências da dependência tecnológica nas crianças e adolescentes

 

O desenvolvimento de competências tecnológicas nos mais pequenos é importante para o seu futuro. No entanto, é essencial que a utilização destas ferramentas seja moderada, de modo a não resultar em dependência. Este vício, em situações extremas, pode ser bastante prejudicial para os mais novos. Descubra algumas dessas consequências. 

 

1. Aumento de hábitos sedentários

A dependência tecnológica reduz drasticamente a atividade física das crianças e adolescentes. Daí resultam problemas como a obesidade, por exemplo. Por outro lado, a aquisição e evolução de competências motoras fica comprometida, pois os estímulos externos são mais reduzidos. 

 

2. Relações interpessoais menos significativas

Outro dos problemas que advém da dependência tecnológica é a substituição das relações interpessoais diretas pelas virtuais. O desenvolvimento de competências sociais e afetivas fica prejudicado devido à utilização exagerada destes gadgets. 

 

3. Problemas posturais

Ao excessivo número de horas passadas com as novas tecnologias associam-se problemas posturais. As más posições enquanto as crianças e adolescentes estão, por exemplo, ao telemóvel ou no computador podem originar problemas na coluna. 

 

4. Aumento do risco de cyberbullying

A dependência tecnológica coloca as crianças e os jovens mais expostos a um fenómeno recente, o cyberbullying. Sobretudo através das redes sociais, esta situação está a tornar-se cada vez mais frequente nos mais novos. 

 

5. Perturbações psicossociais

Vários estudos demonstram que a dependência tecnológica pode resultar em transtornos psicossociais. Agressividade, perturbações do sono, ansiedade e depressão podem ser resultado do vício nas novas tecnologias. 

 

6. Baixo rendimento escolar

O excesso de horas que passam ligados às tecnologias pode interferir com o tempo de descanso e a capacidade de concentração, gerando impactos negativos no rendimento escolar das crianças e adolescentes.  

 

5 Dicas para contrariar a dependência tecnológica dos seus filhos

 

Como viu, a exposição excessiva às novas tecnologias pode gerar problemas sérios no seu filho. De modo a contrariar esse vício, sugerimos algumas estratégias para que o uso do telemóvel ou computador seja mais equilibrado. 

 

1. Promova momentos familiares de qualidade

É em casa que deve começar a contrariar a dependência tecnológica do seu filho. É fundamental promover momentos familiares significativos e divertidos para todos, longe dos equipamentos eletrónicos. Se houve algum aspeto positivo do confinamento, foi a possibilidade das famílias passarem mais tempo juntas. Contudo, a qualidade desse tempo é o mais importante. Por isso, aproveite para organizar atividades em conjunto. 

 

2. Limite horários para o uso dos gadgets

Para uma criança ou adolescente, pode ser muito difícil controlar o vício de jogar um videojogo ou de publicar vídeos no TikTok. O prazer provocado por esse tipo de atividades é tão significativo que podem perder a noção do tempo. Desse modo, é importante estar atento aos períodos que o seu filho passa à volta das novas tecnologias. 

 

3. Tenha uma atitude exemplar

Se pretende contrariar a dependência tecnológica do seu filho, é fundamental que dê o exemplo. Evite o uso excessivo do telemóvel e computador, mesmo se for em trabalhoCaso trabalhe em casa, defina bem o tempo destinado a atividades profissionais e aos momentos familiares. 

 

4. Fale sobre os riscos da tecnologia com o seu filho

Não basta impor normas sobre o uso dos meios tecnológicos, pois a criança pode não as compreender. Devem conversar regularmente sobre os riscos que o uso excessivo destas ferramentas pode despoletar e a partir daí estabelecer regras. 

 

5. Promova outros meios de entretenimento

Em momentos em que as atividades no exterior sejam limitadas, há outras formas para contrariar a dependência tecnológica nos mais novos. Por exemplo, estimular a leitura ou realizar jogos de tabuleiro em família são ótimas soluções. 

 

Os pais têm um papel fundamental para prevenir a dependência tecnológica das crianças. Esteja atento ao comportamento dos seus filhos relativamente ao uso destas ferramentas. 

Para outros artigos e dicas sobre educação e desenvolvimento infantil, subscreva o nosso blog. Encontrará mais conteúdos úteis sobre estes temas. 

 

Deixe uma resposta