fbpx

Como incentivar o seu filho a brincar com amigos fora da escola?

brincar com amigos

Os colegas de escola são importantíssimos para criar uma rede de relacionamentos, fazendo com que os miúdos desenvolvam a sua identidade e demonstrem as suas preferências. No ambiente escolar, brincar com amigos torna-se mais fácil e a possibilidade de a criança se tornar uma pessoa confiante tende a aumentar.

Mas… e fora da escola? Cada vez mais nos deparamos com o facto de as crianças terem poucos ou mesmo nenhuns amigos fora do ambiente escolar. É com os colegas de escola e na escola que estas brincam. Mesmo em eventos infantis fora da instituição de ensino, como festas de aniversário, são muitas as vezes em que os colegas estão presentes.

 

Porque é importante brincar com amigos fora do ambiente escolar?

As crianças não desenvolvem o seu comportamento social apenas em contexto escolar. Fazem-no também através das suas condições biológicas, sociais, económicas e culturais, entre outras.

Alguns pais consideram que é na instituição de ensino que os filhos avançam mais no processo de socialização. Porém, na escola, muitas atividades, ainda que lúdicas e prazerosas, são orientadas e têm um propósito pedagógico. Embora haja tempo para a brincadeira livre, esta não ocupa a maior parte do dia, resumindo-se a alguns intervalos.

Porque será que as nossas crianças socializam tão pouco com os seus pares fora da escola? O que fazer para combater esta ausência de outras crianças?

 

O que leva as crianças a não brincar com amigos fora da escola?

 

1. A impossibilidade de brincar na rua

Principalmente nas cidades, são cada vez menos os pais que deixam os seus filhos brincar na rua, seja porque há muito movimento de automóveis ou porque por ali passam muitas pessoas desconhecidas. Enfim, os perigos são inúmeros.

Assim, perde-se a oportunidade que existia na geração passada de as crianças travarem amizade com outros miúdos das redondezas.

 

2. O entretenimento em casa

Algumas crianças, mesmo que tenham a possibilidade de brincar na rua, preferem ficar em casa. As opções de entretenimento são variadas, desde a televisão aos videojogos, passando pelo tablet e o computador… A tecnologia lúdica é atrativa para os pequenos e estes ficam facilmente fascinados e alheados do que os rodeia quando têm acesso à mesma.

 

3. A (in)disponibilidade dos avós

A esperança média de vida tem vindo a aumentar, o que é uma excelente notícia. Mas, com isto, também se deu o aumento da idade da reforma. Tal faz com que os avós modernos ainda sejam cidadãos ativos no cumprimento das suas funções profissionais. Desta forma, têm menos tempo disponível para os netos.

Muitos de nós passámos mais tempo em casa dos avós do que no jardim-de-infância ou na escola. Agora acontece o inverso! Os avós têm menos tempo para levar os netos ao parque ou a lanchar. Enfim, para os levar a lugares frequentados por outras crianças, onde possam brincar com amigos.

 

4. As atividades fora do horário letivo

Terminado o horário letivo, são poucas as crianças que vão para casa. A maioria permanece na escola em atividades de enriquecimento curricular, ocupação de tempos livres ou prolongamento de horário.

Assim, os alunos passam 7 horas ou mais na instituição de ensino. Em casa, têm de ter tempo para a sua higiene, jantar e dormir, sobrando pouco para brincar dentro ou fora de casa. Sendo que a maior parte do seu tempo ativo é passado na escola, é natural que provenha deste local a quase totalidade dos seus amigos.

 

O que fazer para incentivar as brincadeiras fora da escola?

 

1. Prática de desportos em equipa (fora do contexto escolar)

Ainda que seja mais uma atividade orientada, a prática de desportos em equipa fomenta a cooperação. Isto porque, num desporto deste tipo, só se conseguem atingir objetivos quando todos unem esforços para um objetivo comum. Assim, facilmente se criam laços de amizade que, não raras vezes, podem durar uma vida e passar para fora dos momentos de treino.

 

2. Criar eventos que promovam encontros para brincar

Averigue quais os vizinhos que têm filhos da faixa etária dos seus e promova encontros para brincarem ao fim de semana. Pode ainda fazer das tecnologias suas aliadas, criando um evento para as crianças da sua localidade brincarem com amigos na rua, supervisionadas pelos tutores.

Uma sugestão é seguir o exemplo de alguns moradores do bairro de Alvalade, em Lisboa, que criaram o evento Vamos Brincar na Rua na rede social Facebook.

 

3. Visitar os parques infantis da sua localidade

Se queremos que os nossos filhos conheçam outras crianças, temos de os levar ao encontro destas. Como tal, aproveite os dias de folga e de sol para incluir no seu tempo de lazer uma visita, com o seu filho, ao parque infantil da sua localidade. Talvez outros pais façam o mesmo e se conheçam novos amigos para brincar.

 

4. Promover o contacto entre os seus filhos e os filhos dos seus amigos

Todos gostamos de estar com os que nos são queridos no pouco tempo livre que temos. Porque não aproveitar para convidar os seus amigos que têm filhos para almoçar lá em casa? Podem pôr a conversa em dia enquanto as crianças brincam.

 

Ao longo do tempo, a sociedade e os seus hábitos alteraram-se. Quando eramos crianças, não havia necessidade de pensar nesta temática, porque era mais fácil brincar com amigos na rua. Agora, é importante gerar hábitos que permitam o convívio entre crianças, pois este já não acontece com tanta naturalidade como antes.

 

Educadora Marta Pinheiro
Externato Champagnat

 


 

Deixe uma resposta