fbpx

Orientação vocacional: Prepare o seu filho para o Secundário!

orientação vocacional

O final do Ensino Básico é o momento-chave para o início da orientação vocacional. Este processo é fundamental no percurso formativo dos jovens adolescentes, pois é orientador em relação aos ciclos subsequentes.

A orientação profissional não pode ser descurada e é aconselhável acontecer ainda no 3º ciclo. Neste processo, tanto os pais como os agentes educativos deverão ajudar o jovem a elucidar-se em relação ao seu futuro. Além disso, o apoio de um profissional de Psicologia pode fazer toda a diferença.

 

Oferta no Ensino Secundário em Portugal

A escolaridade obrigatória em Portugal é de 12 anos. Como se viu, é no final do Ensino Básico que algumas decisões devem ser tomadas. Uma boa orientação profissional pressupõe ponderar todas as opções que o Sistema Educativo disponibiliza ao aluno. Nesse sentido, mostramos-lhe agora a oferta prevista para o Ensino Secundário.

 

1. Cursos Científico-Humanísticos

Este ramo do Ensino Secundário orienta-se para a formação dos alunos com vista à entrada no Ensino Superior. Tem a duração de 3 anos, garantindo o nível 3 do Quadro Nacional de Qualificações.

O ciclo de estudos é composto por disciplinas de carácter comum (Português, Língua Estrangeira, Filosofia e Educação Física) e as específicas ligadas ao domínio científico no qual se inclui.

Mediante a orientação vocacional, e dentro da área científico-humanística, o aluno poderá escolher um de quatro domínios:

  • Ciências e Tecnologias – Orientado para percursos profissionais na área das ciências exatas, tais como: Medicina, Engenharias, Ciências Geofísicas, Química, Matemáticas, entre outras;
  • Ciências Socioeconómicas – Este domínio direcciona-se para quem pretende formar-se em áreas como a Economia, Sociologia, Marketing e outras do género;
  • Línguas e Humanidades – Este domínio é a base de quem pretende seguir um curso superior nas áreas das Ciências Políticas, Línguas, História, Ciências da Educação e Sociais, entre outras;
  • Artes Visuais – É um percurso formativo direcionado para a formação superior em Arquitetura, Design, Cinema, Educação Artística e Teatro, por exemplo.

 

2. Cursos Artísticos Especializados

Outro dos ramos do Ensino Secundário está orientado para quem tem talentos artísticos e pretende desenvolvê-los com objetivo profissional. Nesta vertente, o aluno tem disponíveis três áreas específicas:

  • Dança;
  • Artes Visuais e Audiovisuais;
  • Música.

Os dois primeiros cursos garantem o nível 4 e a formação em Música o nível 3 da tabela de qualificações. Ambos permitem o prosseguimento de estudos no Ensino Superior e em Cursos de Especialização Tecnológica (CET).

 

3. Cursos Profissionais

Para uma formação voltada para a prática, o Sistema Educativo disponibiliza cursos profissionais. Esta componente do ensino permite uma formação orientada para o trabalho, dando, posteriormente, a possibilidade de prosseguir para o Ensino Superior.

O plano formativo assenta em três domínios centrais: Sociocultural, Científico e Técnico. Após a conclusão do mesmo, o aluno terá o nível 4 do quadro de qualificações.

 

5 Dicas para uma boa orientação vocacional

A escolha da melhor opção após o Ensino Básico depende de uma boa orientação vocacional. Este é um passo determinante no futuro do jovem em termos profissionais. Desse modo, é útil tomar algumas medidas, a fim de conduzir o processo de forma positiva.

É na fase da adolescência que deve acontecer a orientação vocacional. Nem sempre os jovens têm todas as ferramentas disponíveis para fazer a escolha mais acertada. Por conseguinte, é fundamental o apoio dos pais, agentes educativos e outros profissionais. Mostramos-lhe agora 5 dicas para conduzir este processo.

 

1. Apoie o seu filho

O apoio familiar na orientação profissional é fundamental para uma escolha acertada. Nem sempre os adolescentes têm a maturidade suficiente para refletirem sobre o futuro. Por vezes, realizam escolhas sem se perspetivarem devidamente no amanhã. No que toca ao Ensino Secundário, muitas das decisões são baseadas em crenças que nem sempre correspondem à realidade.

 

2. Peça a opinião dos agentes educativos

A opinião dos agentes educativos é um fator a considerar. Os professores que acompanham os alunos no Ensino Básico conhecem melhor do que ninguém as competências por eles adquiridas ao longo do percurso escolar. Esse conhecimento pode fazer a diferença na escolha do melhor plano de estudos no Ensino Secundário.

 

3. Pesquise sobre o mercado de trabalho e Ensino Superior

Levar o jovem a pesquisar e a estar informado sobre o mercado de trabalho é fundamental para perceber as opções disponíveis. Por outro lado, se pretende ingressar no Ensino Superior, é também importante conhecer os cursos e instituições disponíveis, bem como as respetivas áreas disciplinares.

 

4. Visite feiras de educação, formação e emprego

Anualmente, são realizadas feiras direcionadas para adolescentes sobre educação e emprego. Nestes espaços, os jovens encontram uma orientação vocacional em relação às ofertas do Ensino Secundário e Superior, bem como das oportunidades do mercado de trabalho.

 

5. Procure ajuda de um profissional

Normalmente, no final do Ensino Básico, as escolas disponibilizam aos alunos profissionais focados em orientação vocacional. No entanto, pode procurar essa ajuda junto de outros técnicos externos à escola.

 

Como viu, uma boa orientação profissional é um processo-chave para o futuro dos jovens. É natural surgirem muitas dúvidas nesta etapa. Contudo, estas não devem ser empurradas para a frente, pois as escolhas, ainda que reversíveis, podem provocar ansiedade e frustração.

Gostou do nosso artigo? Quer ter acesso a conteúdos sobre outras problemáticas relativas aos adolescentes e ao ensino? Subscreva agora o nosso blog!

 


 

Deixe uma resposta