Bullying infantil: Saiba o que é e como identificá-lo!

bullying infantil

O bullying nas escolas tem dado origem a um número crescente de queixas. Por mês, são mais de 600 os casos que chegam ao conhecimento das autoridades portuguesas, segundo dados do Programa Escola Segura da PSP.

O bullying infantil tornou-se um fenómeno social, pelo que os pais devem estar atentos aos comportamentos dos filhos. Só assim perceberão se estes são alvo de maus-tratos ou se estão (deliberada ou inconscientemente) a participar em comportamentos abusivos.

 

O que é o bullying e quais as suas causas?

De um modo geral, o bullying infantil envolve várias crianças: a que é vítima, a que agride (ou as que agridem) e as que testemunham os abusos.

Este comportamento resulta de um desequilíbrio de poder entre uma criança e outra. Manifesta-se, por conseguinte, através de um conjunto de ações intencionais e repetidas, como agressões físicas, verbais e psicoemocionais, sem motivo aparente.

Por outras palavras, o bullying infantil resulta de uma visão preconceituosa acerca de um miúdo relativamente ao resto do grupo/turma. Destacar-se nos estudos, ter uma estatura física acima ou abaixo da média e usar óculos são alguns dos motivos que conduzem à discriminação por parte dos colegas.

As vítimas de bullying são, normalmente, alvo de críticas maldosas, brincadeiras humilhantes ou até mesmo atitudes violentas, para além de fofocas e maldizeres. As agressões físicas e verbais desmoralizam as crianças vítimas deste comportamento. Provocam, ademais, sentimentos de dor e angústia. Estes, por sua vez, podem gerar traumas psicológicos que afetam o desenvolvimento dos mais novos.

 

Quais os traços identificativos de bullying nas crianças?

As vítimas de bullying tentam, frequentemente, esconder dos pais esse facto. Fazem-no por vergonha ou por receio de demonstrar impotência na resolução de um problema que consideram da sua responsabilidade. Por isso, é muito importante que os pais estejam atentos à mínima mudança comportamental dos filhos.

Na maioria das vezes, uma criança vítima de bullying infantil apresenta os seguintes comportamentos:

  • Demonstra pouca vontade de ir para a escola, evitando a todo o custo chegar antes do toque de entrada;
  • Apresenta sintomas de indisposição na hora de sair de casa (dores de barriga, enjoos, nervosismo ou dores de cabeça);
  • Revela medo de ir para a escola e começa a falar com os pais sobre a possibilidade de trocar de turma ou de estabelecimento de ensino;
  • Altera o seu trajeto casa-escola, apanhando um autocarro diferente ou optando por uma rua mais longa;
  • Evidencia problemas de atenção e concentração;
  • Começa a baixar o seu rendimento escolar;
  • Regressa da escola com as roupas sujas ou com lesões físicas, como cortes, arranhões ou hematomas, inventando desculpas de que caiu ou escorregou;
  • Chega a casa com a mochila rasgada ou com os livros e cadernos estragados e diz perder frequentemente bens pessoais;
  • Torna-se reservada e pouco conversadora, começando a manifestar baixa autoestima;
  • Aparenta estar sempre triste, angustiada, ansiosa ou deprimida;
  • Demonstra perda de apetite ou descuido com a alimentação e desinteresse pelas suas atividades extracurriculares favoritas;
  • Tem bastantes pesadelos.

 

Quando detetados isoladamente, os sinais listados acima podem não significar que uma criança é alvo de bullying. Contudo, quanto maior o número de traços identificados no seu comportamento, maior a probabilidade de esta ser vítima de abusos. Como tal, a sensibilidade dos pais para este fenómeno é fundamental.

 



Deixe uma resposta