Birras: Saiba como lidar com estes comportamentos!

Birras

As birras das crianças podem ser verdadeiramente desesperantes para os pais. Porém, saber lidar com estas manifestações é crucial para proporcionar uma boa educação.

Assim, é conveniente que os pais saibam o que são birras, quando surgem e, especialmente, o que podem fazer para as enfrentar.

 

O que são birras?

As birras são comportamentos ruidosos e desesperados por parte das crianças, de forma a demonstrarem aos pais a sua frustração face a um não. Quando ocorrem em público, podem ser bastante embaraçosas. Algumas crianças gritam, outras choram e outras dão pontapés ou agitam os braços. Há ainda as que esperneiam e se deitam no chão e aquelas que atiram objetos ou alimentos.

No fundo, as birras não são mais do que manifestações espalhafatosas e, em certas situações, até agressivas das crianças, quando estas desejam ver satisfeitas as suas vontades. Todavia, a maneira como se testam os limites e contestam as regras impostas pelos pais pode diferir de filho para filho. É algo que está relacionado com a sua educação.

Há situações em que as crianças simplesmente não conseguem captar a atenção dos pais. Como tal, recorrem às birras para manifestarem os seus sentimentos, emoções e necessidades. Ou seja, fazem pedidos de ajuda inconscientes e imaturos. Por isso, é necessário que os pais sejam sensíveis às atitudes dos filhos, de forma a agirem em conformidade.

 

Em que idade surgem as birras?

As birras começam por volta dos 2 ou 3 anos e podem perdurar até aos 5 anos de idade. Basicamente, surgem quando as crianças percebem que se podem fazer ouvir, embora nem sempre sejam capazes de se expressar da forma mais correta ou expectável. Como as birras se iniciam numa fase do crescimento infantil em que a criança está a desenvolver a sua personalidade, esta ainda não aprendeu a viver com a desilusão. Como tal, é crucial que os pais sejam capazes de enfrentar corretamente as birras, contribuindo para uma boa educação dos filhos.

 

4 Dicas básicas para lidar com as birras das crianças:

Não existem fórmulas infalíveis para lidar com as birras. Embora tudo dependa do desenvolvimento da criança, dos pais e da situação, algumas dicas podem ajudar a solucionar os desafios que são as birras dos mais novos.

 

1. Ter uma atitude perentória.

A forma como os pais se dirigem aos filhos quando estes estão a fazer uma birra é muito importante. Ao invés de ter uma postura ereta e crítica, de levantar a voz, de dizer simplesmente não ou de exaltar-se e franzir as sobrancelhas, os pais podem:

Agachar-se, ficando de frente para as crianças;

– Usar um tom imperativo e calmo e uma voz serena;

– Comunicar com firmeza e com consistência;

– Abrir bem os olhos e olhar diretamente os filhos;

– Explicar pacientemente porque devem parar com a birra.

Desta forma, os pais serão capazes de interromper manifestações mais ou menos violentas por parte dos miúdos e, ao mesmo tempo, empaticamente, demonstrar que estes têm a sua atenção.

 

2. Não demonstrar impaciência.

Há alturas em que, devido ao cansaço ou a problemas pessoais, os pais acabam por desesperar, sentir-se culpados e ceder às birras das crianças. Ao fazê-lo, não estarão a acabar com esses comportamentos infantis nem a contribuir positivamente para a educação dos filhos.

Na verdade, apenas estarão a adiar o aparecimento da próxima birra e a transmitir aos miúdos que tais atitudes são normais e aceitáveis. Assim, darão asas a um ciclo vicioso, em que as crianças recorrerão às birras para obter aquilo que desejam, tornando-se cada vez mais difícil controlar as atitudes incorretas.

 

3. Estabelecer rotinas.

As rotinas são essenciais para proporcionar às crianças um ambiente seguro e para lhes transmitir uma sensação de afeto. Ao haver rotinas, os mais novos compreendem que há momentos para tudo e entendem os valores familiares. Percebem que não são ignorados pelos pais e sentem uma maior estabilidade emocional.

 

4. Implementar um castigo.

Quando informarem as crianças de que irão sofrer um castigo caso a birra não cesse, os pais deverão ser claros e diretos na explicação. É importante que digam aos filhos o que está a motivar a punição e que a implementem logo que possível.

Se estiverem num local público, a aplicação do castigo deverá ocorrer assim que chegarem a casa. Já se estiverem em casa, o castigo deverá ser imediatamente aplicado. Por conseguinte, as crianças ficarão cientes das consequências que podem advir das suas más ações.

Mas, atenção! Os pais devem evitar intimidar os filhos no momento da birra ou ameaçar recorrer a castigos que contemplem violência física. Tal não irá acalmar a fúria, sobretudo se, em situações anteriores, já tiverem recorrido a esta estratégia e se o seu cumprimento não tiver sido implementado.

 

Em suma, para que as birras sejam contrariadas o mais precocemente possível, é fundamental que os pais sejam coerentes na educação e nos princípios que transmitem aos filhos ao longo das suas fases de desenvolvimento infantil.

 



Deixe uma resposta