Adolescência: Ajude o seu filho a ultrapassar estes 5 problemas!

adolescência

A adolescência pode gerar alguns episódios de incompreensão por parte de pais e filhos. A rutura com o mundo infantil e a transição para a vida adulta não é tarefa fácil. Na maioria das vezes, o adolescente sente-se sozinho, incompreendido e confuso.

Certamente, já experienciou alguns destes sentimentos no passado, mas agora está do outro lado. Sente-se incapaz face às atitudes do seu filho? Não entre em pânico! Damos-lhe alguns conselhos para enfrentar os 5 problemas mais comuns na adolescência.

 

  1. Aparência física: Será este o principal problema na adolescência?

A adolescência é uma fase de grandes mudanças físicas, psicológicas e sociais. Na puberdade, o corpo muda num curto espaço de tempo.

Nas raparigas, as principais alterações estão relacionadas com a menstruação. Nos rapazes, vivencia-se o aparecimento de barba e a mudança de voz. Em ambos os sexos, é comum o surgimento de acne.

Um dos principais problemas na adolescência está precisamente ligado à imagem que o adolescente tem de si mesmo e que lhe é transmitida pelos seus pares.

A obsessão pelo corpo perfeito ou uma imagem corporal negativa podem acarretar riscos para a saúde. O adolescente poderá achar-se demasiado gordo ou magro, encontrando formas de se esconder.

Para lidar melhor com as mudanças no corpo, incentive o seu filho a:

  • Seguir uma alimentação saudável;
  • Praticar exercício físico;
  • Ter hobbies;
  • Evitar hábitos prejudiciais à saúde (fumar, beber álcool);
  • Seguir rotinas de higiene regulares.

Ensine o seu filho a encarar o corpo como único e com qualidades. Se necessário, consulte profissionais de saúde, entre os quais dermatologistas, psicólogos e nutricionistas.

Durante a adolescência, é essencial estar atento a determinados comportamentos que considere anormais na rotina do adolescente, sobretudo ligados à alimentação e exercício físico.

 

  1. Sexualidade: Uma conversa necessária e útil

Converse sobre sexualidade com naturalidade. Alguns pais recusam-se a aceitar que os filhos têm necessidades sexuais, tentando adiar esta conversa. Lembre-se de que, se o seu filho não se sentir à vontade consigo, certamente irá procurar apoio noutras pessoas.

Informe-o sobre questões como o uso de métodos contracetivos, os riscos de uma gravidez na adolescência e as doenças sexualmente transmissíveis. Fale abertamente sobre as relações afetivas do adolescente, bem como as suas angústias e desejos.

Manter sempre a porta aberta ao diálogo é meio caminho andado para que os adolescentes sejam mais confiantes na sua sexualidade.

 

  1. Drogas: Informar e desincentivar o consumo

Na adolescência, o fruto proibido é o mais apetecido. É normal que o jovem comece a sair mais com os amigos e sinta curiosidade em experimentar substâncias desaconselhadas à sua idade, tais como álcool e drogas.

Tenha uma conversa com o seu filho, explicando-lhe todos os riscos associados ao consumo deste tipo de substâncias. Opte por um discurso preventivo, mas simultaneamente educativo, sem exagerar. Não tenha uma comunicação depreciativa e evite comparações com outros amigos ou conhecidos.

 

  1. Redes sociais: Proibir não é solução!

Demasiada dependência e exposição às redes sociais pode tornar-se um problema na adolescência, uma vez que há uma procura constante pela aprovação dos pares (normalmente, em forma de elogios).

Alerte o seu filho para os riscos das redes sociais, bem como para os problemas relacionados com a segurança e privacidade. Os adolescentes têm uma maior necessidade de partilhar fotos, vídeos e informação privada, que os pais devem monitorizar, mas nunca proibir.

Evitar o uso de telemóvel ou tablet durante as refeições é primordial. Seja o primeiro a dar o exemplo. À mesa, deve privilegiar o diálogo e a partilha, fazendo deste um espaço de socialização por excelência para todos.

 

  1. Autonomia dependência em relação ao futuro

Decidir o futuro ou optar por uma área académica pode tornar-se um problema na adolescência, levando a situações de ansiedade e indecisão.

Nesta fase, é fundamental trabalhar a individualidade do adolescente. Dê-lhe segurança, mas também autonomia para lidar com dilemas e situações de stress. Intervir demasiado rápido na resolução de problemas ou ser excessivamente protetor poderá ser contraproducente.

O adolescente está a trilhar o seu percurso académico/profissional, sendo que uma orientação vocacional adequada é essencial neste período. Tenha uma postura participativa, mostrando-lhe as opções existentes, mas abstendo-se de opinar demasiado.

 



Deixe uma resposta