Desenvolvimento Infantil dos 6 aos 9 anos: Educar um Filho!

desenvolvimento infantil

O desenvolvimento infantil é algo a que os pais devem estar atentos. Cada uma das fases proporciona os estímulos necessários à evolução saudável dos filhos.

Da infância à adolescência, é muito rápida a velocidade a que se processa o crescimento físico, comportamental, cognitivo e emocional. Cada criança é única e difere das outras na idade exata em que atinge novas etapas. Porém, as características dos estágios de desenvolvimento infantil são, em grande parte, comuns a todas.

É importante que os pais tenham uma noção dos problemas com que poderão ser confrontados e das linhas orientadoras a ter em mente para os prevenir e resolver.

Já lhe falámos da idade pré-escolar e das capacidades que se adquirem entre os 3 e os 5 anos. Agora, focamo-nos no desenvolvimento infantil dos 6 aos 9 anos. Por coincidir com a entrada no 1º ciclo do ensino básico, exige uma grande capacidade de adaptação e acarreta novas responsabilidades, desafios e anseios, quer para as crianças, quer para os pais.

 

As quatro dimensões do desenvolvimento infantil

1. Desenvolvimento físico

Dos 6 aos 9 anos, as crianças são extremamente enérgicas e a coordenação motora estabiliza-se. Ficam mais propensas a sofrer pequenas quedas e encontrões e transpiram bastante, o que poderá levar ao aparecimento de constipações.

Nesta etapa do desenvolvimento infantil, é essencial que os pais aproveitem as férias para promover brincadeiras ao ar livre. Leve o seu filho ao parque infantil ou a passear no jardim ou na praia, onde possa correr e saltar à vontade.

Os tempos livres são importantes para que as crianças se mantenham ativas. A inscrição em atividades extracurriculares possibilita o desenvolvimento de novos interesses, nomeadamente desportivos. Além disso, fomenta as interações com outras crianças em ambientes de aprendizagem diferentes dos habituais.

Porém, é importante salvaguardar alguns aspetos essenciais no desenvolvimento infantil. Os pais devem definir rotinas para os filhos se alimentarem, estudarem e dormirem, uma vez que o descanso é fundamental para um crescimento saudável.

 

2. Desenvolvimento intelectual

No 1º ciclo, as crianças aprendem a ler e a escrever e tornam-se mais curiosas e atentas ao ambiente que as rodeia. Conseguem resolver problemas cada vez mais complexos e questionam-se acerca das diferenças de sexo e da gravidez. É nesta etapa que ganham gosto por colecionar objetos, que se tornam mais conservadoras e que começam a apresentar um raciocínio mais coerente e lógico.

No desenvolvimento infantil dos 6 aos 9 anos, são oportunas as visitas a museus com exposições direcionadas ao público infantil. Ofereça ao seu filho livros e jogos de tabuleiro e inscreva-o em atividades extracurriculares culturalmente enriquecedoras, como os clubes escolares.

 

3. Desenvolvimento social

As crianças criam laços de amizade muito rapidamente e gostam de participar em atividades de grupo. Contudo, reagem intempestivamente em situações de desconforto, podendo mesmo recorrer à agressão para resolver um problema.

Nesta fase de desenvolvimento infantil, é crucial que os pais incentivem a conversação. Podem aproveitar as refeições, por exemplo, para debater com os filhos os comportamentos corretos ou errados.

É igualmente importante que os pais estejam atentos às comunicações realizadas pela escola. O comportamento das crianças não deve ser analisado apenas em função da forma como agem na presença dos pais, mas também na sua ausência.

 

4. Desenvolvimento emocional

Entre os 6 aos 9 anos, os miúdos tornam-se mais independentes, embora a autonomia possa vir acompanhada de insegurança. É frequente dramatizarem situações em que prevejam que irão ter dificuldades e vivenciarem sentimentos de culpa e vergonha. A independência torna as crianças mais resistentes a determinadas instruções dos adultos e à aceitação de críticas e castigos, pelo que, ocasionalmente, se isolam.

São os pais que devem definir regras claras de conduta atitudinal. Compete a estes determinar novas responsabilidades para os filhos, atribuir-lhes recompensas pelas suas ações positivas (como um doce, uma ida ao cinema ou um brinquedo novo) e promover brincadeiras que os levem a ganhar confiança nas suas capacidades.

Estimule o seu filho a praticar o uso da imaginação e a conviver com outras crianças. Desta forma, contribuirá para o desenvolvimento da sua auto-estima e para um crescimento saudável.

 



Deixe uma resposta